Quem é Chico Buarque?

Francisco Buarque de Holanda, mais chamado de Chico Buarque de Holanda, nasceu no Rio de Janeiro em 19 de junho de 1944. É filho do analista Sérgio Buarque de Holanda e da pianista Maria Amélia Cesário Alvim. Por causa de ao trabalho de seu agente, mora em São Paulo e na Itália ao longo a infância. Em 1963, ingressa no curso de Construção e Urbanismo da Faculdade de São Paulo, no qual participa de movimentos estudantis. Nesse inclusive ano participa do harmonioso Abalo do Orfeu com a som “Possui mais Samba”, considerada pelo próprio Chico o ponto de abalada para sua ala. Apresenta-se, em 1964, no programa Fino da Aptidão, comandado por Elis Regina, conquistando o identificação do público. Em 1965 azagaia seu primeiro bolacha basto com as músicas “Pedro Alvanel” e “Sonho de um Alvoroço”.

Chico faz similarmente as músicas para o balada “Morte e Vida Severina” de João Cabral de Melo Neto, que ganha o prêmio de análise e público no IV Acúmulo de Anfiteatro Universitário de Nancy, na França. Em 1966, sua som “A Ala”, baba por Nara Leão, vence o Acúmulo de Som Popular Brasileira da TELEVISÃO Record e sai seu primeiro LONG-PLAY “Chico Buarque de Holanda”. Também em 1966, Chico casa-se com a atriz Marieta Íntegro, com quem teve 3 filhas. A fabricação artística de Chico padece grande impacto com a Absolutismo Militar e seu espetáculo “Roda-Viva”, que estreou em 1967, acaba censurado. Em 1968, em aparceiramento com Acento Jobim, vence com a som “Sabiá” o Acúmulo Cosmopolita da Balada. Em 1969, Chico participa da passeata dos cem mil, em oposição a o dieta militar, e se autoexila em Roma por causa de à expressão esperteza. Na Itália assina um acordo com a gravadora Philips, para fabricação de mais um bolacha. Sua som “Embora de Você” vende por volta de {{100(Original)|100 (cem)|Cem}(ORIGINAL)|100 (CEM)|CEM} mil cópias, porém é censurada e coleta das lojas. Em 1970, Chico retorna ao Brasil. Em 1972, age em “No momento em que o Alvoroço Alcançar”, filme de Cacá Diegues para o qual compôs diversas músicas. No ano posterior faria a atalho sonora do filme “Vai Trabalhar, Abana-moscas”. Similarmente em 1973, em aparceiramento com o dramaturgo Ruy Batalha, escreve o artigo e as músicas da canhão “Calabar, o Aplauso da Adultério”. A canhão foi proibida, ainda que algumas canções tivessem sido gravadas em bolacha.

Em 1974, Chico azagaia o álbum “Demonstração Tapado”, interpretando músicas de mais compositores, e passa um prolongado tempo sem se entregar, porém continua produzindo. Escreve a canhão Baga d’água, em aparceiramento com Paulo Pontes, e a som “O que será”, abecedário para o filme “Dona alta e seus 2 maridos”. Começa uma nova ala, como redator, publicando a conto “Bens Modelo”. Em 1975 azagaia o bolacha “Os Saltimbancos”, uma apólogo harmonioso que ele traduziu e adaptou do italiano “I Musicanti”, de Luiz Enriquez e Sergio Bardotti. Em 1978, ganha o Prêmio Molière de melhor autor afetado pela autoria e composto das canções da “Ópera do Malandro”. Em 1979, publico o livro infantil “Chapeuzinho Fulvo”. Em 1992, viria o primeiro amor, “Estorvo” e, em 1995, o de acordo com, “Benjamin”. Em 1999, por intermédio de eleição popular promovida pela auditoria Ou seja, foi o aclamado o “agradável brasileiro do século”. Chico foi, aos poucos, se dedicando à bibliografia, em 2003 publica “Budapeste” e em 2009 “Leite alastrado”. Seus romances são sucessos de público e análise, tendo adquirido em 1992, 2004 e 2010 o Prêmio Cágado de Livro do ano, camada aparência.

Avalie esse Post!